Mafra

Descaso com moradores na Rua José Boiteux passa de duas décadas

“Em 20 anos a prefeitura não conseguiu fazer 300 metros de meio-fio”, diz Dinei Carvalho.

 

Moradores da Rua Doutor José Boiteux, na Vila Ivete, em Mafra, vivem um dilema inusitado, a rua, é um importante elo de ligação dos bairros e conjunto habitacionais ao Centro de Mafra, mesmo assim, “o descaso dura mais de 20 anos”, garante o morador Dinei Carvalho.

 

Segundo Dinei, ele era menino quando viu a pavimentação asfáltica chegar na rua de sua casa, a rua até passou por reformas, mas nunca a obra foi concluída.

 

“Há duas décadas que a rua está desta forma. Perdemos as contas de quantas vezes fomos na prefeitura reclamar, pedimos apoio até para vereadores, mas nunca fomos atendidos. Não estamos pedindo uma ajuda, mas um direito! Pagamos o asfalto e o meio-fio”, pontua.

 

Ainda segundo o morador, sem meio-fio, não é possível arrumar as calçadas, com isso, pedestres disputam espaço na rua com carros que passam em alta velocidade e frequentemente com o matagal proveniente de terrenos abandonados.

 

“Do meu ponto de vista não existe justificativa para a demora em colocar o meio-fio. São apenas 300 metros de asfalto. Para piorar fomos informados que não podemos colocar o meio-fio por nossa conta, porque corremos o risco de ter que desmanchar caso a calçada fique fora das medidas corretas, de qualquer forma, estamos com as mãos amarradas”, lamenta.

 

Rua Doutor José Boiteux, na Vila Ivete, em Mafra.

 

O que diz a prefeitura?

Por telefone, a assessoria de imprensa da Prefeitura informou que colocou um servidor, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, para levantar todas as informações sobre a rua, e depois passar a versão oficial. O Riomafra Mix aguarda a versão da prefeitura desde o dia 10 de agosto.

 

Um comentário

  1. Se no começo da rua está assim, imagine ao longo dela, onde esta termina e começa a ver. Antenor Rauen… Começa com uma lombada ao contrário (na entrada do CAIC, ou seja, rua de muito movimento, sem as infra-estruturas necessárias, disputadas por veículos e alunos, diariamente), prossegue sem marcação de onde pode ou não estacionar, o que acaba congestionando bem em frente ao um bar, dificultando a passagem de ônibus, ou veículos, e acaba com inúmeros buracos, em frente aos condomínios. São lajotas soltas, desmembradas, com muitos buracos, muitos mesmo! E fazem só 04 anos que esta rua recebeu as lajotas… As famílias aumentaram e muito! Vereadores já se manifestaram, mas só! Nada foi feto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *