Destaques

Cuidados com animais devem ser redobrados em dias de calor intenso

 

Alguns animais de estimação merecem atenção durante os dias quentes e secos neste período do ano. Dicas simples como ter o acesso fácil para água e evitar a caminhada em horários com o sol muito forte podem ajudar em manter o animal hidratado e saudável no verão. Essas são algumas orientações que a Polícia Militar Ambiental passa à população para proteger os animais.

A primeira situação que os donos devem notar é o comportamento. “Se o animal apresentar alguma diferença no dia a dia, como com uma respiração muito ofegante, pode ser em razão do calor”, explica o major Marledo, da Polícia Militar Ambiental. Dependendo da pelagem, essa situação pode ser mais intensa. “É sempre bom verificar se as características da pelagem e do animal para analisar uma possível tosa no período mais quente”, disse.

A hidratação dos animais é fator importante também. É recomendada a troca de duas a três vezes por dia da água. Além da hidratação, alguns animais como os cachorros necessitam da água para resfriar o seu corpo. “Os cachorros transpiram pela boca, por isso sempre estão com a língua para fora, essa é a condição do resfriamento dele”, explica. Outra orientação é deixar o líquido sempre disponível e em local acessível para hidratação adequada.

De acordo com o major, alguns animais como os gatos adotam o processo de banho naturalmente. Para os cachorros, é importante diferenciar o banho de limpeza do banho para dias quentes. “Em dias muito quentes, o ideal é lavar o animal sem produtos, apenas para ele se refrescar. Nesses casos, não é recomendado o uso de sabão ou espuma. Esse tipo de produto tira as proteções do pelo”. Ele também sugere ainda que o banho seja dado com água mais gelada.

Ao sair para caminhar ou levar o animal para passear é importante observar o horário em que será feito. Evitar os períodos em que o sol esteja muito forte e sair de preferência pela manhã ou à noite. Além da proteção da pele, é preciso prestar atenção nas patas. “As patas em si já têm uma proteção natural, mas o ideal é evitar pisos quentes que retenham calor, como asfalto e cimento. Se for possível, levar os animais em locais com grama ou areia clara que não prejudiquem as patas”, complementa o major Marledo.

Publicidade

VER PRIMEIRO

Agora, que tal seguir o nosso Twitter e curtir a nossa página no Facebook? Para que você possa continuar acompanhando os melhores posts sobre Rio Negro e Mafra, diariamente, em suas redes sociais.