Robson Komochena

Cotidiano, política e a história de Rio Negro, Mafra, Itaiópolis e região sob o olhar polêmico e irreverente do jornalista.

Inicia em Rio Negro julgamento com expectativa de ser um dos mais longos do ano

A previsão é que o julgamento siga até, pelo menos, sexta-feira. Serão ouvidas 25 testemunhas de acusação e defesa, além das partes envolvidas.

Testemunhas se reúnem em frente ao Fórum de Justiça. Foto: Alexandre Carvalho

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Iniciou por volta das 8h30 desta terça-feira (21), no Fórum de Justiça de Rio Negro, um dos julgamentos mais esperados e, talvez, o mais longo do ano.

 

Isso porque serão ouvidas 25 testemunhas de acusação e defesa, além das partes envolvidas nas mortes do técnico em segurança, Genésio Almeida, e do prefeito eleito de Piên em 2016, Loir Dreveck.

 

Com isso, a previsão é que o julgamento siga até, pelo menos, sexta-feira.

 

Serão julgados os réus, Gilberto Dranka (ex-prefeito de Piên), Leonides Maahs (ex-presidente da Câmara de Vereadores), o mecânico Orvandir Pedrini e Amilton Padilha, acusados por planejar e executar emboscadas que resultaram nos assassinatos.

 

Dos quatro réus, apenas Amilton Padilha, apontado como o atirador, não estará presente. Ele chegou a ser preso, mas fugiu da cadeia e segue foragido.

 

Com informações de Alexandre Carvalho.

 

Colunas e textos de opinião são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Riomafra Mix.