“Chimarrão simples, do dia a dia”, relembra vencedora do primeiro concurso

Heloisa do Livramento Skonieczny revelou fórmula que lhe trouxe o título de campeã do primeiro Concurso Cultural de Chimarrão, promovido pelo Riomafra Mix, em 2019.

Foto: Robson Komochena

 

O chimarrão ganhou destaque em 2019 com a realização do primeiro Concurso Cultural de Chimarrão promovido pelo Riomafra Mix. O evento reuniu cerca de 40 participantes e coroou a mafrense Heloisa do Livramento Skonieczny como campeã. Agora, a competição está de volta para sua segunda edição, prometendo mais emoção e tradição.

 

Com exclusividade ao Riomafra Mix, Heloisa compartilhou sua experiência no concurso e o impacto de sua vitória. “Foi uma emoção muito grande. Realmente não imaginei que iria ganhar. A gente fez um chimarrão simples, do dia a dia, com carinho e sem o objetivo de ser o melhor. E ter o reconhecimento desta tradição foi muito gratificante”, conta.

 

Quando soube do concurso, Heloisa foi motivada pela família, especialmente pela mãe. “Ela sempre dizia que meu chimarrão era bom e me incentivou a me inscrever. Tomei coragem e participei”, revela.

 

Durante a competição, um detalhe fez toda a diferença: a temperatura da água. “Os jurados elogiaram bastante que levei água quente já de casa. Muitos participantes estavam com a água muito quente, o que estraga o sabor do chimarrão. Acredito que o conjunto do sabor da erva, a temperatura certa da água e o chimarrão não ficar entupido foram essenciais para a minha vitória”, destaca.

 

Para Heloisa, o formato da cuia e da bomba também influenciam na experiência do chimarrão. “Uma cuia mais gordinha comporta mais erva, e se a boca for mais larga, o chimarrão invertido acaba desmoronando. Uma bomba mais fina não suga tanto a água, o que pode causar desconforto ao beber”.

 

Ao chegar no evento, Heloisa optou pelo tradicional. “Quando vimos cuias enfeitadas e ervas de chimarrão coloridas, bateu um frio na barriga. Mas conversamos e decidimos manter o tradicional, e deu certo”. Ela ressalta que o chimarrão não precisa ser elaborado para ser bom. “O que conta mais é o sabor. A maioria das pessoas faz o chimarrão em casa com uma cuia bonita e bem trabalhada, o que já é o suficiente”, detalha.

 

Para aqueles que estão na dúvida sobre participar do próximo concurso, Heloisa encoraja: “Vá e faça o seu melhor. Não importa o que os outros pensem. Se você está com dúvidas, é sinal que deve participar. Vamos estar lá para experimentar o chimarrão de vocês. Participem, troquem ideias e mantenham viva a tradição do chimarrão no Sul”, pontuou Heloísa.

 

 

Segunda edição com inscrições abertas

A segunda edição do concurso cultural de Chimarrão do Riomafra Mix acontece no dia 21 de julho e está com inscrições abertas e gratuitas (clique AQUI para se inscrever).

 

O evento será realizado às 14 horas no Parque Ecoturístico São Luís de Tolosa, o popular Seminário, em Rio Negro, com o patrocínio oficial da erva-mate Tupan. O primeiro colocado receberá R$ 1 mil, o segundo R$ 600, e o terceiro R$ 400.

 

Foto: Arquivo pessoal/Heloisa

 

Confira o regulamento