Materiais ortopédicos do Fundo Municipal de Saúde são encontrados em porão desocupado em Mafra

A secretária de Saúde explicou que se trata apenas de caixas de gesso ortopédico e por estarem vencidos e inservíveis, haviam sido doados para um terceiro, que os utilizaria em fins acadêmicos.

A Câmara de Vereadores de Mafra recebeu na manhã desta terça-feira (20), uma denúncia anônima referente ao armazenamento irregular de materiais de saúde.

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Segundo as informações recebidas, havia um depósito no porão da antiga cooperativa dos ferroviários, conhecido prédio onde por anos funcionaram as casas de shows Estação 170 e Dubai Café.

 

Diante dos fatos, os vereadores Clesiomar Witt, Edenilson Schelbauer e Eder Gielgen que estavam no momento na Casa, juntamente com um servidor, formaram uma comitiva e foram até o local.

 

Como o imóvel está sob processo judicial, os vereadores acionaram a Polícia Militar e um oficial de Justiça, que autorizou a vistoria no local.

 

 

Durante a vistoria, em um dos porões do prédio, com acesso através de um alçapão, foram encontradas cerca de 40 caixas de materiais ortopédicos.

 

As caixas estavam etiquetadas com o destinatário Fundo Municipal de Saúde de Mafra e algumas tinham a fabricação datada em 2015.

 

A Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias (IGP) também foram chamados.

 

 

Defesa

Em entrevista exclusiva ao repórter Douglas Dias, a secretária de Saúde de Mafra, Jaqueline Fátima Previatti Veiga, afirmou que os materiais encontrados eram apenas gesso ortopédico vencido.

 

Ela explicou que com a inauguração da UPA, em 2017, o atendimento de fraturas antes feito em parceria entre a Secretaria de Saúde e o Pronto Atendimento, passou a ser feito exclusivamente no Hospital São Vicente de Paulo.

 

Com isso, o material deixou de ser usado e, por estarem com o prazo de validade ultrapassado, e inservíveis, haviam sido doados para um terceiro, que utilizaria em fins acadêmicos.

 

Por fim, a secretária afirmou que os demais materiais encontrados na sala não possuem ligação com a Secretaria de Saúde.

 

 

Instauração de inquérito

De acordo com delegado da Comarca de Mafra, Lucas Magalhães, se forem confirmadas as informações apresentadas pela secretária, não será instaurado inquérito.

 

Ainda, segundo o delegado, os materiais serão restituídos à Secretaria de Saúde.