Governo do Paraná nega ter aplicado vacinas vencidas e culpa sistema de dados

A Secretaria de Estado da Saúde reforça que todas as vacinas são seguras e tem eficácia comprovada.

Foto: Divulgação

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

A Secretaria de Saúde do Paraná informou nesta sexta-feira (2) que o Estado não recebeu e não distribuiu nenhuma vacina contra a covid-19 fora da validade prevista pelos fabricantes.

 

Os esclarecimentos sobre o caso foram apresentados após a Folha de S.Paulo publicar uma reportagem que aponta a utilização de imunizantes fora da validade em 1.532 cidades do país.

 

Dentre os oito lotes de AstraZeneca mencionados pelo levantamento, o Paraná recebeu apenas dois (4120Z005 e CTMAV520).

 

O primeiro, com 86,5 mil unidades, foi distribuído aos municípios no dia 23 de janeiro, com validade até 14 de abril. O segundo, com 38,6 mil, foi enviado às cidades no dia 26 de março, com validade até 31 de maio.

 

O período mínimo entre a distribuição e a validade dos imunizantes foi de 66 dias. O máximo, de 81 dias. Considerando que os municípios recebem as doses e realizam, de maneira geral, aplicação instantânea, é improvável algum tipo de aplicação fora da data no Estado.

 

Segundo o setor de Imunizações da Secretaria, trata-se de problema de registro no sistema nacional, a Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS).

 

O Estado orientou os municípios nesta sexta-feira, mais uma vez, para que corrijam os registros no sistema, ressaltando que a funcionalidade de correção, por parte do Ministério da Saúde, só foi disponibilizada há 15 dias.

 

A Secretaria de Estado da Saúde reforça que todas as vacinas são seguras e tem eficácia comprovada. A população deve procurar os locais de imunização e buscar a proteção.

 

Com informações da Agência Estadual de Notícias.