Evasão escolar volta a ser debatida na Alesc

Evasão escolar e as dificuldades de aprendizado durante a pandemia serão temas de audiência pública.

Foto: Divulgação

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Os números de evasão escolar continuam alarmantes e ações para o enfrentamento precisam ser discutidas o quanto antes. Dentro dessa linha, a Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da Assembleia Legislativa (Alesc) promove nesta segunda-feira (13) uma audiência pública para debater as causas, os efeitos e as ações de combate à evasão escolar em Santa Catarina.

 

Conforme levantamento do Ministério Público de Santa Catarina, 10 mil estudantes permanecem fora das escolas neste ano. Um outro estudo, feito pelo IBGE em outubro de 2020, indica que 1,38 milhão alunos, de 6 a 17 anos, deixaram de frequentar as aulas presenciais ou a distância no Brasil. E outros 4 milhões, mesmo matriculados, não receberam nenhuma atividade escolar, num total de 5,5 milhões crianças e adolescentes sem acesso à educação.

 

A audiência pública foi proposta pela deputada Marlene Fengler (PSD), presidente da Comissão. O encontro será a partir das 14 horas, na Sala das Comissões, com participação de representantes do Ministério Público (MP), Secretaria de Estado da Educação, Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

 

Mesmo se tratando de uma amostragem, os números acima correspondem a uma evasão de 3,8% dos estudantes matriculados, quase o dobro de 2019, antes da pandemia, quando o índice de evasão foi de 2%. Os dados apontam que antes da pandemia, o país tinha 1,7 milhão de jovens em idade escolar fora das salas de aula, número que disparou para mais de 5 milhões com a covid.

 

Temos crianças entre 4 e 12 anos sem frequentar a escola e isso é inconcebível. A evasão escolar que estamos verificando é assustadora, motivada possivelmente pela dificuldade de acompanhamento das aulas online, porque sabemos que a internet ainda não está disponível igualmente a todos, além de outros fatores “, destaca Marlene.

 

Parceria

Visando promover o aumento da eficiência energética no segmento industrial catarinense, a SCGÁS assinou parceria com a Fapeu (Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária). Serão realizados estudos de eficiência energética nos fornos da Cerâmica Gabriella, de Criciúma, reforçando o compromisso com a inovação e melhoria da tecnologia na indústria catarinense. As pesquisas serão realizadas pela equipe do professor Agenor De Noni Junior, adjunto do Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos da UFSC.

 

Banco de Alimentos

A Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina) anunciou seu apoio ao Banco de Alimentos de Santa Catarina, uma iniciativa do Rotary Club de Florianópolis – Jurerê. O projeto vai coletar, armazenar e distribuir alimentos às entidades e organizações voltadas para a promoção social de pessoas e comunidades carentes. Coordenador do projeto, Jorge Luiz Bof destacou que o combate à fome é um dos maiores problemas do planeta e que se acentuou com a pandemia. “Temos hoje aproximadamente 10% da nossa população passando necessidades alimentares. Isso significa mais de 20 milhões de brasileiros que não comem regularmente”, citou.

 

Médico Veterinário

O Dia do Médico Veterinário foi comemorado esta semana na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, que prestou homenagem aos 60 anos da Sociedade Catarinense de Medicina Veterinária (Somevesc), em sessão especial realizada no Plenário Deputado Osni Régis. O proponente da solenidade foi o deputado José Milton Scheffer (PP), que destacou a relevância da entidade na valorização dos profissionais veterinários e a importância da categoria no desenvolvimento do agronegócio catarinense.  A Somevesc foi fundada em 14 de julho de 1961.

 

Carro elétrico

A Alesc será parceira do IFSC (Instituto Federal de Santa Catarina) na implantação do uso de veículos elétricos em frotas públicas. A iniciativa foi apresentada ao presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), e à deputada Dirce Heiderscheidt (MDB), em reunião com o coordenador do projeto, o professor do IFSC e engenheiro elétrico Adriano de Andrade Bresolin.  “Uma ideia inovadora, que tem o DNA total catarinense e que terá o apoio da Alesc nesse projeto piloto”, comentou Mauro De Nadal.