Vacinação avança e caem números de mortes por covid-19 em SC

Dados apontam que 143 municípios do Estado não registraram nenhum óbito em decorrência da covid em agosto.

Foto: Divulgação/Secom

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

A semana termina com duas boas notícias no combate a covid-19 em Santa Catarina: 1) Com cerca de 8 milhões de doses encaminhadas para os municípios aplicarem pelo menos a D1  na população adulta, de 18 anos para mais, o calendário proposto pela Secretaria da Saúde foi cumprido; 2) Dados da mesma pasta apontam que 143 municípios do Estado não registraram nenhum óbito em decorrência da doença em agosto, segundo notificações encaminhadas pelas gestões municipais.

 

O número representa uma melhora significativa em relação a julho, quando 98 cidades não tiveram mortes causadas pelo coronavírus. A combinação das informações faz aumentar o otimismo em relação ao combate ao vírus, sobretudo reforçado pelo fato de que 66,2% da população adulta já ter tomado ao menos uma dose; e 30,97%, as duas, conforme o Vacinômetro.

 

“Contamos agora com o apoio dos municípios para atualizarem os dados das pessoas cujas doses não estão registradas no sistema. Nos últimos três meses, nós tivemos recordes de vacinação em massa no Estado. Agora é pensar adiante. Ainda teremos doses de reforços em idosos e vacinação de adolescentes, o trabalho continua”, destacou o secretário André Motta Ribeiro.

 

Pelo menos 25 municípios já iniciaram a vacinação dos adolescentes de 17 até 12 anos, com doses da Pfizer. A estimativa é de 549.894 mil residentes em SC nesta faixa etária. Paralelamente, os idosos, com esquema vacinal completo há mais de seis meses, iniciam a dose complementar. As doses começarão a ser aplicadas naqueles com 85 anos ou mais. “Agora daremos mais um passo importante com a vacinação de adolescentes e o reforço em idosos. E para quem recebeu a primeira dose, é muito importante que retorne e complete o esquema vacinal”, destaca o governador Carlos Moisés.

 

Desburocratizando

Foi aprovado pelo plenário da Assembleia Legislativa, na quinta-feira (2), projeto de lei do deputado Coronel Mocellin (PSL) que desburocratiza a reconstrução após eventos climáticos, facilitando o reaproveitamento de árvores caídas durante fortes chuvas. Agora o PL segue para a sanção do governador Carlos Moisés.  Hoje, se uma árvore cai sobre um carro, residência ou muro é preciso a autorização prévia do Instituto do Meio Ambiente para remover e usar em reparos. O PL desburocratiza o processo.

 

Saneamento em SC

O deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB) articulou reunião entre representantes de serviços municipais de saneamento e o secretário do Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Luciano Buligon, para tratar de alteração do decreto estadual 1.372, que define a estrutura da prestação regionalizada dos serviços de saneamento básico em SC. Objetivo é garantir que os municípios não percam a autonomia sobre a gestão dos serviços de água e esgoto. A reunião contou com a participação do presidente do Samae de Jaraguá do Sul, Ademir Izidoro; do presidente da Companhia Águas de Joinville, Giancarlo Schneider, do presidente regional da Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento (Assemae), Paulo Cesar Main; e do presidente do Samae de São Bento do Sul, Osvalcir Peters.

 

Cigarrinha

O deputado Moacir Sopelsa (MDB) alertou para a ocorrência da cigarrinha do milho, que voltou  devastar lavouras no Oeste de SC. “Iniciou a safra de 2021/2022 com o plantio principalmente do milho  e mais uma vez o inseto da cigarrinha destruindo as lavouras”. Sopelsa recomendou aos agricultores atingidos assistirem um vídeo produzido pela Epagri para minimizar os prejuízos. O problema é que o tratamento exige pulverização a cada quatro dias, encarecendo ainda mais os custos de produção.

 

Setembro Amarelo

O deputado Maurício Eskudlark (PL)  destacou o início do Setembro Amarelo, mês dedicado à prevenção ao suicídio. Os números reforçam o alerta. No Brasil, são registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos, sendo 96,8% dos casos relacionados a transtornos mentais. Em Santa Catarina, em 2020, de acordo com o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), foram registrados 769 suicídios, 611 do sexo masculino. Em 2021, até julho, foram 416 registros (336 do sexo masculino).