Facisc promove discussão sobre ferrovias de SC

Encontro promoveu debate sobre ligações e reativações de linhas no Estado.

Foto: Divulgação

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Os representantes do Governo do Estado, de empresários e especialistas no setor debateram a situação das ferrovias catarinenses em uma transmissão ao vivo realizada nesta quarta-feira (21).

 

O encontro foi mediado pelo diretor de Infraestrutura e Logística da Facisc, Antônio Carlos Guimarães Neto, que ressaltou a importância de se discutir alternativas e construir um discurso e um planejamento unificado entre poder público e entidades empresariais. “Para buscarmos os melhores resultados em Santa Catarina, precisamos estar organizados e unidos”, destacou o diretor.

 

Silvio dos Santos, gerente de ferrovias da Secretaria de Estado da Infraestrutura, compartilhou a visão do Governo do Estado com a retomada das obras dos contornos ferroviários de Joinville e São Francisco do Sul e a perspectiva de iniciar a de Jaraguá do Sul.

 

Além da construção do primeiro trecho da Ferrovia Litorânea entre o porto de Navegantes e a linha da Rumo em Araquari; de estudos para a ligação da Ferrovia Tereza Cristina e a linha da Rumo na região de Lages; da construção do Terminal Rodo Ferroviário no Planalto Serrano; e os estudos para a cessão do trecho desativado Mafra-Porto União-Piratuba para Ferrovias Shortlines.

 

O executivo da Câmara de Transportes e Logística da FIESC, Egídio Martorano, defendeu que é preciso planejar um complexo ferroviário que seja conectado a todos os intermodais. “Chega de improvisos. Precisamos de uma malha ferroviária e isso depende de um planejamento”, destacou

 

Representando a concessionária Rumo, maior operadora de logística ferroviária independente do Brasil, com atuação em SC, Eudis Furtado, apresentou um panorama de investimentos e o processo de renovação da malha Sul. Outra referência no setor, Benony Schmitz, presidente da Ferrovia Tereza Cristina, ressaltou que o objetivo da logística é atender os setores de produção e por isso qualquer projeto neste sentido tem que atender o setor produtivo.

 

Emendas

Terminou nesta quinta-feira (22), o prazo para que deputados e as bancadas apresentassem emendas à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 5/2001 e ao Projeto de Lei Complementar (PLC) 10/2021, que tratam da proposta de Reforma da Previdência dos servidores públicos. Até o fechamento da coluna, 32 propostas de mudanças foram protocoladas. A apresentação do relatório preliminar será no dia 28 de julho e a apresentação e votação do relatório conclusivo, dia 3 de agosto. A votação final será no dia 4 de agosto.

 

Menos direitos aos presos

O deputado Coronel Mocellin (PSL) enviou moção à Câmara dos Deputados para solicitar o fim das saídas temporárias e pedir maior rigidez para progressão do regime de presos. Conforme a argumentação do parlamentar catarinense, tais benefícios colocam de novo no meio da sociedade criminosos que ainda não cumpriram as suas penas e nem estão totalmente ressocializados. A moção chega no momento em que os deputados federais estão debatendo mudanças no Código Penal. No último domingo (18), um homem, beneficiado pela saída temporária, acabou morto em confronto com a polícia militar após sequestrar e extorquir três mulheres em Florianópolis.

 

BR-101

Para sensibilizar os catarinenses para a gravidade de um problema que pode travar o estado, além de alertar para a necessidade de buscar soluções para as rodovias, a FIESC e o Grupo ND lançam nesta sexta-feira (23), a campanha “SC não pode parar”. O foco inicial é a BR-101, porém rodovias como as BRs 470, 280, 282 e 163 também estarão em evidência. Serão 12 meses de movimentação, com debates, palestras e ações inéditas para discutir alternativas para a solução dos gargalos que envolvem essas rodovias.

 

Carentes

A campanha “Juntos Somos Mais Fortes” – voltada ao apoio a famílias carentes atingidas pelos efeitos da pandemia – fechou a sua segunda edição com a arrecadação de R$ 62.620, utilizados para a aquisição de alimentos e itens de higiene e limpeza para sete comunidades carentes da Grande Florianópolis. A ação foi promovida pelo Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Sindalesc) e pela Associação dos Servidores (Afalesc) e contou com o apoio da Associação dos Servidores Aposentados da Alesc (Afipolesc).