Estrutura da antiga cooperativa dos ferroviários será demolida

A Defesa Civil avaliou as condições da estrutura após o incêndio de segunda-feira e constatou grande risco de desabamento.

Fotos: Robson Komochena

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Depois de muita análise ao longo dos últimos dias, foi decidido na noite desta quinta-feira (13), sobre o destino do que restou da estrutura da antiga cooperativa dos ferroviários de Mafra.

 

O local, que sofreu um incêndio na madrugada de segunda-feira (10), teve 500, dos 705 metros quadrados da edificação queimados.

 

Toda a estrutura de madeira do local foi consumida, restando apenas as paredes. Com a chuva de quarta-feira, a estrutura de tijolos ficou ainda mais comprometida, apresentando rachaduras e risco de desabamento.

 

Após avaliação do Corpo de Bombeiros, o local foi interditado e a Defesa Civil assumiu o caso, onde durante o dia de hoje, avaliou as condições da estrutura e constatou que a única alternativa viável é a demolição.

 

 

Segundo a Secretaria de Governo, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cidadania, responsável também pela Defesa Civil, a demolição está prevista para acontecer nesta sexta-feira. Os trabalhos serão executados por uma empresa especializada, contratada pelo proprietário do imóvel.

 

Com a demolição, a avenida Coronel José Severino será interrompida parcialmente entre a praça do Correio e a Rodoviária. Durante a derrubada das paredes frontais, as duas pistas serão bloqueadas. Após, será liberado o fluxo sentido centro.

 

A previsão para liberação das duas pistas após a conclusão total dos trabalhos. Também será interrompida a rua Pioneiro Antonio Cordeiro de Oliveira (lateral).

 

Esta matéria foi atualizada

Após a publicação do texto, fomos informados que, como o imóvel está sob interferência da Justiça, não é possível precisar o horário da demolição, diferente do que foi anunciado até então, ao meio-dia.

 

O período da demolição será determinado pelo proprietário e empresa responsável somente após a liberação judicial.