PM de Rio Negro alerta para golpe do emprego de meio período

Prática se popularizou pelo Brasil e promete, geralmente, R$ 500 por dia de trabalho em um emprego online de meio período.

Foto: Divulgação

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Uma nova modalidade de golpe vem sendo aplicada através do Whatsapp, com propostas de emprego.

 

Segundo a Polícia Militar de Rio Negro, os golpistas entram em contato com a pessoa, oferecendo propostas de emprego de meio período e prometendo pelo menos R$ 500 por dia de trabalho. Nomes de empresas famosas como Amazon e Mercado Livre estão sendo usados para convencer as potenciais vítimas.

 

 

Na mensagem, o suposto entrevistador solicita algumas informações como nome completo, idade e experiência profissional. Ele também explica que a atividade deverá ser feita pelo celular e dura de 10 a 30 minutos, e em seguida, envia um link para a suposta plataforma de trabalho.

 

No site, a vítima deverá se cadastrar e receberá R$ 5 em sua conta, o que seria o equivalente a primeira renda. A partir daí o golpe começa realmente.

 

A proposta do golpista é para que a vítima exerça uma função de “consumidor”, tendo de realizar compras de produtos pré-selecionados pela plataforma, o que trará um reembolso de R$ 30, além de uma comissão inicial de R$ 17,50. Após isso, o golpista promete que para cada aquisição subsequente, a vítima receberá uma comissão de 30%.

 

Como o golpe funciona?

Imagine que você entrou na plataforma e recebe um saldo inicial de R$ 5. O primeiro produto que deverá comprar para aumentar a reputação da tal loja custa R$ 30, portanto você deve inicialmente depositar R$ 25 para a plataforma. Após realizar a “compra”, esse dinheiro é imediatamente “devolvido”, aparecendo como um balanço e que poderia ser sacado a qualquer momento por você.

 

Contudo, quando você tenta realizar o saque, a plataforma informa que é necessário o cumprimento de um número X de tarefas, que virão na sequência. Após realizar a primeira aquisição e se empolgar com a suposta comissão, você segue comprando e vai para a segunda tarefa, que necessita de um depósito um pouco maior.

 

Por exemplo, a tarefa número 2 é a compra de um celular no valor de R$ 1.000. A vítima, então, deposita esse dinheiro na conta da plataforma e, ao realizar o pedido, já recebe o dinheiro de volta com o valor da comissão de 30% somado. Ou seja, terá mais de R$ 1.300 no “balanço”.

 

E assim segue. Sempre que a vítima quiser sacar o dinheiro receberá uma tarefa ainda mais cara para cumprir até ela perceber que aquilo se trata de um golpe e não conseguirá mais recuperar as finanças.

 

Segundo o comandante da Polícia Militar de Rio Negro, capitão Paulo Eduard Antonio Lemes, um morador do município recebeu recentemente uma mensagem com a proposta de emprego de um número internacional, do Paquistão, e foi orientado a ignorar a mensagem.

 

De acordo com o comandante, o ideal é não entrar em contato e jamais preencher cadastros ou baixar aplicativos desconhecidos, já que o criminoso terá em mãos dados importantes que podem ser usados até para outros golpes de engenharia social.