Cleber Odorizzi

Formado pela Associação de Sommelier de SC, o especialista fala do mundo dos vinhos, trazendo curiosidades, tecnicidades, formas de cultivo de uvas e outras tendências.

Queijos e vinhos combinam?

A primeira dica para harmonizar queijos e vinhos é considerar a intensidade dos sabores.

Foto: Divulgação

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Uma das combinações mais praticadas por todos os consumidores de vinho, contém alguns equívocos na harmonização. O primeiro deles é que nem todo queijo combina com qualquer vinho.

 

Para não errar na escolha, o ideal é saber identificar o queijo e, principalmente saber o que será o principal: o vinho ou o queijo? Sendo o vinho, é interessante cuidar para que a harmonização não seja carregada com queijos mais pesados. Sendo o queijo o protagonista, dê preferência a vinhos mais leves, que permitam saboreá-lo.

 

Apesar de não ser um grande conhecedor de queijos, uma boa pesquisa sobre o produto, permite-me indicar a escolha e preferência do vinho, com base nas especificações.

 

Percorreremos agora, alguns dos produtos mais conhecidos e uma indicação de escolha para harmonização.

 

Queijos Comté, Emmental, Grana Padano, Gruyère, Lincolnshire Poacher, Manchego (ovelha), Montgomery’s Cheddar, Parmigiano-Reggiano e Pecorino (ovelha), preferem vinhos brancos secos e encorpados. Na escolha de um tinto, escolha sempre um leve a médio. A ideia é que os taninos funcionem bem com a estrutura do queijo. Para uma melhor combinação, opte por queijos mais jovens e relativamente duros, sem muita intensidade ou muita idade.

 

Para queijos como Brie, Camembert, Chaource, Neufchâtel, Tunworth, St-Marcellin, St-Félicien, Vacherin e Waterloo, dê vez a vinhos com maior acidez, pois enfrentam o teor de gordura desses produtos. Geralmente são queijos mais moles e com boa personalidade. Neste caso, também é ideal que o produto seja mais jovem, evitando-se queijos mais velhos. Vinhos brancos, combinam perfeitamente com estes produtos, pois, naturalmente, possuem maior acidez, que é próprio de um vinho mais refrescante. Já vinhos tintos carregados (Tannat, Malbec, Cabernet, Syrah e Cabernet Franc), tendem a não combinar com o excesso de gordura nos queijos.

 

Para queijos azuis como Bleu d’Auvergne, Bleu des Causses, Cabrales, Gorgonzola, Stilton e Roquefort (ovelha), prefira sempre vinhos doces. Talvez esse seja um dos maiores erros na harmonização, pois muitos preferem um vinho tinto. Ao misturar os dois em boca, a combinação não é legal e há um desajuste. Misture-os de forma correta e a sensação será incrível. Neste estilo de harmonização, o contraponto entre o salgado e o doce é quem fará a diferença.

 

Para queijos de cabra como Crottin de Chavignol, Picodon, Ragstone, Tymsboro, Valençay e de ovelha, Azeitão, Ossau-Iraty, Roncal, Serra de Estrela, Wigmore, dê preferência a vinhos frescos, com boa acidez, sejam tintos ou brancos.

 

Na hipótese de não conseguir se ajustar e preferir fazer uma grande tábua de frios, misturando todos os queijos, a opção mais acertada, pode ser um vinho fortificado (Porto, Madeira, etc).

 

Por fim, para auxiliar na escolha do vinho, segue uma escala do vinho do mais leve ao mais encorpado.