Mafra celebra 104 anos de história, tradição e belezas naturais

Mafra se destaca por suas belezas naturais e pontos turísticos, além da rica história de seu povo.

Foto: Riomafra Mix

 

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

 

Com uma história rica e marcada por grandes acontecimentos, Mafra completa hoje 104 anos. O município é um elemento singular no cenário histórico e cultural de Santa Catarina e surgiu no rastro de tropeiros que abriram caminhos na região através da Estrada da Mata.

 

Com o tempo, chegaram os primeiros imigrantes alemães que fixaram raízes e iniciaram o processo de colonização. Até o acordo de limites em 1971, Mafra pertencia ao município do Rio Negro, no Paraná; e somente, após o fim da Guerra do Contestado, parte do município foi desmembrada, passando a pertencer a Santa Catarina. Foi quando, em 8 de setembro de 1917, o município de Mafra foi criado.

 

Durante seus anos de história, Mafra foi marcada pelo cultivo de erva-mate, pelo transporte de cargas e passageiros em embarcações pelo rio Negro, por sua participação na Segunda e Guerra Mundial e pela construção da estrada de ferro e das rodovias BR 116 e BR 280.

 

Com personagens marcantes e uma trajetória de grandes acontecimentos, Mafra é hoje constituída por mais de 55 mil pessoas, que carregam consigo uma grande diversidade cultural. São descendentes de alemães, poloneses, portugueses, italianos, ucranianos, sírio libaneses, bucovinos, turcos, japoneses, luxemburgueses, espanhóis e indígenas, colonizadores e imigrantes que ajudaram a criar a identidade mafrense e que são parte essencial do desenvolvimento do município.

 

Mafra também se destaca por suas belezas naturais e pontos turísticos. Conheça a história por trás de alguns deles:

 

Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Em 2 de fevereiro de 1972, foi construída uma modesta capela e em 1975 começaram as obras da atual igreja, fruto do apoio e doação da população. Em 6 de setembro de 1981, foi então inaugurada a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro do Rito Ucraniano Oriental.

 

Foto: Riomafra Mix

 

Foto: Riomafra Mix

 

Ponte Metálica

A ponte metálica foi construída na Bélgica e entregue em 22 de novembro de 1896. Ela é mais curta que os taludes que margeiam o rio Negro, motivo que ocasionou a construção de suas cabeceiras. Há duas versões para esse fato: a primeira, um erro de engenharia na medição da distância das margens pelo leito do rio, a outra, a famosa história da troca das pontes. Dizem que a ponte de rio Negro foi enviada para um rio homônimo na África e a de lá veio para cá. Ela é um importante marco histórico-geográfico promovendo a união entre as cidades de Mafra e Rio Negro.

 

Foto: Robson Komochena

 

Cruz do Monge João Maria

Em 1851 surgiu um homem milagreiro chamado monge João Maria, um profeta dotado de muita fé. Ele passou a se dedicar às práticas das rezas, batizava e promovia curas. A pedido do monge foram erguidas dezenove cruzes de madeira como forma de livrar a população da peste, da fome e da guerra. Entre todas as fixadas, restou somente uma na capela da Praça Hercílio Luz. Ela foi assentada no dia 30 de junho de 1851 e protegida pela capela erguida a seu entorno. Os restos de lenho da antiga cruz permanecem até os dias de hoje, sendo cultuados como um santuário de devoção.

 

Foto: Riomafra Mix

 

Museu da Terra e da Vida – Cenpaleo

O Cenpaleo iniciou suas atividades em junho de 1997 junto à UnC Mafra, com o objetivo de preservar o material fossilífero encontrado no município. A partir dele, em 1998, nasceu o Museu da Terra e da Vida a fim de levar à comunidade a importância do patrimônio Paleontológico e Geológico da região, retratando a história da evolução da vida. No estado, é o quinto maior museu no âmbito geral e o maior de paleontologia, segundo a Fundação Catarinense de Cultura. O espaço expões fósseis e evidências geológicas sobre o que aconteceu no Sul do Brasil há cerca de 300 milhões de anos.

 

Foto: Riomafra Mix

 

Ponte da Vila Ruthes

Pelo caminho da estrada da Vila Ruthes, estão a cachoeira da fábrica de papel com 21 metros e a ponte férrea, utilizada para a prática de rapel.

 

Foto: Riomafra Mix

 

A partir de hoje, o Riomafra Mix vai lançar uma série de reportagens em comemoração ao aniversário de Mafra. O especial vai destacar pontos turísticos, religiosidade, personalidades do município e perspectivas de futuro com os jovens mafrenses.