Demanda por álcool gel gera diferença de preços de até 356%

Apesar das orientações do Ministério da Saúde que, dentre outras recomendações, pedem que as pessoas não estoquem produtos de limpeza

Apesar das orientações do Ministério da Saúde que, dentre outras recomendações, pedem que as pessoas não estoquem produtos de limpeza em casa, em Riomafra a “corrida” pelo álcool gel já começou.

Continua após a Publicidade

Continua após a Publicidade

Diversos leitores relataram à redação do Riomafra Mix que estão encontrando dificuldades para comprar itens como álcool gel e máscaras. A alta dos preços é outra reclamação frequente. A diferença de preços do álcool gel na versão entre 300 a 400 ml chega a 356%.

O Riomafra Mix entrou em contato com 9 farmácias e duas empresas de produtos de limpeza riomafrenses para averiguar os preços e disponibilidade de produtos. A maioria das empresas já está encontrando dificuldades para repor os estoques e, nesta segunda-feira (16) nenhuma delas possuía disponibilidade da embalagem de 1 litro de álcool gel. Apenas quatro farmácias ainda possuíam o produto, mas em pouca quantidade. “Vendemos mais de 200 unidades da embalagem de 400 ml somente hoje”, disse uma atendente.

Todas as farmácias pesquisadas disseram que a falta de álcool gel é temporária e que os estoques vem passando por reposição diariamente. Já as máscaras de proteção, entre as poucas que possuem disponibilidade do produto, não há previsão para a reposição.

Dentre as 11 empresas pesquisadas, a que apresentou a versão mais barata do álcool em gel foi um estabelecimento que trabalha com produtos de limpeza. A versão de 1 litro do álcool gel, com dispenser, custa R$ 15. Já nas farmácias, não há disponibilidade da versão de 1 litro, sendo que a versão mais barata do produto foi encontrada a R$ 12,90 na embalagem de 400ml. Já na farmácia mais cara, a embalagem de 300 ml custava R$ 46, uma diferença de R$ 356%.

Especialistas recomendam que ao comprar o álcool gel, os consumidores atentem para a concentração, que deve ser de 70%. O uso de álcool comum, geralmente vendido em supermercados não é recomendado para as mãos, em razão da concentração de água. É recomendado que as pessoas possuam apenas a quantidade de produtos para uso pessoal, não sendo necessário estocar em casa.